quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Jimi Hendrix faria hoje 71 anos de idade



Há 71 anos atrás, nascia James Marshall “JimiHendrix. Guitarrista, cantor, compositor e produtor norte-americano, considerado pela revista Rolling Stone, o melhor guitarrista de rock de todos os tempos! Críticos e músicos diversos consideram-no o maior músico das seis cordas, um dos mais influentes músicos de sua era, em diferentes gêneros musicais.
Nascido em Seattle, Washington, a 27 de novembro de 1942, Jimi faleceu prematuramente, aos 27 anos de idade, em Londres, a 18 de setembro de 1970. Muito tímido, sensível e inteligente, Hendrix teve a infância e adolescência marcadas por problemas familiares, o divórcio de seus pais, o abandono de sua mãe, Lucille, e o falecimento desta, de tuberculose, em 1958, quando tinha 16 anos de idade. Muito apegado à sua avó materna, de origem cherokee, que exerceu grande influência em sua formação, ensinou a Jimi a importância do sentimento de orgulho por seus ancestrais nativos norte-americanos. Jimi foi criado pelo pai, Al Hendrix, homem muito simples e trabalhador, que procurava dar aos filhos o necessário para sua criação.
Desde cedo, o gosto e o amor pela música fizeram parte da vida de Jimi. Aos 10 anos de idade, brincava com a vassoura dizendo ser sua guitarra.  O primeiro contato com um instrumento musical, e que o encantou, foi um velho ukelele, instrumento de quatro cordas, que fora introduzido no Havaí pelos portugueses no século XVII, com apenas uma corda. Aos 11 anos, seu pai deu-lhe um violão barato, e aos 12 anos comprou sua primeira guitarra. Somente mais tarde, com muita dificuldade, pode comprar uma guitarra acústica, que o colocaria no caminho de sua profissão.

Jimmi iniciou sua carreira tocando blues, com várias bandas locais de Seatle. Conseguia “ver” e “ouvir música”, e se inspirar, em situações diversas. Alistou como voluntário no Exército, para a guerra do Vietnã, como paraquedista, em Fort Campbell, Kentucky, a 80Km da cidade de Nashiville, no Tennessee. Sua passagem pelo Exército ocorreu num curto espaço de tempo. Jimi serviu por menos de um ano, e foi dispensado, após fraturar o tornozelo, em um salto. Segundo relatos de Jimmi, o som do ar assobiando no para quedas, era uma das fontes de inspiração para o “som espacial” de sua guitarra. Jimi nunca esteve em combate, mas segundo depoimentos de soldados que lá estavam lutando, suas gravações tornaram-se as favoritas.
De volta ao mundo da música, em 1963, mudou-se para Nova York, e levou uma vida precária, trabalhou em estúdios de gravação, tocando em bandas de apoio a músicos de soul e blues como Curtis Knight, B. B. King, Isley Brother, Jackie Wilson, Sam Cooke e Little Richards.
Seu primeiro nome artístico foi Jimmy James. Montou a banda “Jimmy James and The Blues Fames”.  Enquanto tocava com o grupo, no Café Wha, Jimi foi descoberto por Chas Chandler, baixista do grupo de rock britânico The Animals que levou-o para a Inglaterra, a um contrato de agenciamento e produção com seu produtor musical e ajudou-o a formar uma nova banda, a “The Jimmi Hendrix Experience”.
Em Londres, surge a agravação da célebre música ”Hey Joe” e de “Purple Haze” e “The Eind Cries Mary”, que fizeram grande sucesso. Durante as primeiras apresentações em clubes, Jimi angaria rapidamente muitos fãs, entre eles famosos como, Eric Clapton e Jeff Back, os Beatles, o the Who e na época, o ainda desconhecido Farrokh Bulsara, o nada mais nada menos, aquele que viria a ser depois, o famoso Fred Mercury, cujos produtores encaminharam Hendrix para o selo que produzia o The Who: a Track Records.
O primeiro álbum do grupo é gravado, o “Are You Experienced” e  lançado em 1967. Álbum considerado hoje um marco na história do rock. O sucesso foi absoluto! Jimi e o Experience causam impacto em Londres.
Em meados dos anos 60, o Jimi ficou em primeiro lugar nas listas dos mais vendidos. Com o grupo The Jimi Hendrix Experience, percorreu várias cidades europeias com um espetáculo, um misto de rock, jazz e blues. Em cena, a relação de Jimi com sua guitarra era de amor e ódio. Hendrix simulava fazer sexo com o instrumento, para mais tarde destruir sua guitarra em um ritual violento, reduzindo-a em pedaços, deixando o público atônito.

Em um show realizado no Astoria Theatre, em Londres, no ano de 1967, Jimi achou que o público não estava muito empolgado. Ateou fogo em sua guitarra, em pleno espetáculo! Tal fato que entrou para a história do rock, e se tornaria marca registrada em suas apresentações, sendo repetida outras vezes. JHimi foi levado para o hospital com queimaduras e advertido para controlar suas exibições no palco, depois de danificar os amplificadores e outros instrumentos.
Hendrix alcança enorme reconhecimento europeu, alcançando as paradas de sucesso disputadas pelos Rolling Stones e os Beatles.
A fama nos EUA, como era desejo de Jimi Hendrix, veio depois de sua performance em 1967, no Festival Pop de Monterey. Paul McCartney, integrante do Festival Pop, através de forte apelo, conseguiu que fosse agendada a apresentação do Jimi Hendrix Experience, no Festival de Monterey. Dois anos depois, em 1969, no célebre Festival de Woodstock, em que Jimi havia formado uma nova banda para participar, a Gypsy Suns and Rainbows, e no Festival da Ilha de Wight, em 1970, Jimi Hendrix foi a atração principal. 
O grupo formado por Jimi teve vida curta e Hendrix formou um novo trio, com velhos amigos, o bando Gypsys, para quatro memoráveis concertos na véspera do Ano Novo de 1969/1970.
A música de Jimi Hendrix era peculiar! A preferência por amplificadores distorcidos e crus e a técnica da microfonia foram muito exploradas por ele.
De volta à Inglaterra, crescia a imagem de “selvagem” e de artista cheio de recursos para chamar a atenção (tocar a guitarra com os dentes e com ela às costas), trazia-lhe notoriedade, o que tornava Jimi cada vez mais frustrado. Alegando concentração da mídia e das plateias apenas em suas atuações no palco e em seus primeiros sucessos, e não tão satisfatória aceitação de seus lançamentos mais recentes, Jimi Hendrix sentia-se insatisfeito! No mesmo ano, em dezembro de 1967, o grupo lança o segundo álbum, Axis: Bold as Love. Em 1968, a banda gravou o terceiro álbum duplo, Electric Ladyland.
No entanto, entre problemas de relacionamento com os elementos da banda, dificuldades nas gravações e com gravadoras, problemas contratuais e à fadiga, o pior problema, e o maior inimigo de Jimi Hendrix, era ele mesmo! Seu comportamento muitas vezes destrutivo, seus tormentos, o consumo excessivo de álcool e drogas pesadas, brigas e prisões marcaram sua vida! Em 4 de janeiro de 1968, Jimi foi preso pela polícia de Estocolmo por ter destruído completamente um quarto de hotel em que estava hospedado, num ataque de fúria, devido à embriaguez. O abuso de álcool e todos os tipos de drogas, durante os anos 60, as viagens de LSD, que o transportavam a um mundo de experiências complexas e inexatas, a uma percepção transcendental do mundo que lhe tirava a percepção do mundo real, somado à opressão das gravadoras e do público, acarretaram no guitarrista uma postura fechada, introspectiva, que o levaram a procurar subterfúgio nas drogas pesadas.
Hendrix morreu nas primeiras horas de 18 de setembro de 1970, em Londres, num dos apartamentos do Hotel Samarkand, Lansdowne Crescent, em Notting Hill, com apenas 27 anos de idade! Circunstâncias pouco esclarecedoras, marcara, sua morte, após uma ingestão letal de barbitúricos e álcool. Jimi Hendrix havia passado a noite anterior em uma festa, de onde seguiu com a namorada, Mônica Dannemann, para o hotel. Segundo o laudo do médico que o atendera inicialmente, Jimi Hendrix havia morrido asfixiado, afogado em seu próprio vômito.
Em vida, Jimi conquistou prêmios concedidos a artistas de rock, além de receber homenagens póstumas, incluindo sua confirmação no Hall da Fama do Rock and Roll americano, em 1992 e no Hall da Fama da Música do Reino Unido, em 2005.