sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Breve histórico sobre a Sexta-feira 13


Historicamente falando, diferentes povos, atribuíam infortúnios ou má sorte a determinados dias ou meses do ano. Poucos registros, entretanto, revelam de fato a origem de crenças atribuídas a datas específicas. Uma provável explicação dessa associação pode ser cultural. Ao longo do tempo, comunidades diferentes atribuíam explicações sobrenaturais a fenômenos que não compreendiam. Na ânsia por respostas, e para afastar o medo que se abatia sobre o grupo, recorriam a lendas, crendices e superstições.
Em diferentes culturas, o mesmo ocorria com a associação dos infortúnios a determinadas datas do ano, como é o caso da sexta-feira 13. Não se sabe ao certo qual é a verdadeira origem de tantas “histórias” criadas acerca de tal data. Entretanto, alguns acontecimentos e considerações reforçam a história de maldição. Uma das mais conhecidas justificativas, conta que Cristo foi perseguido por esta data e, antes de ser crucificado, em uma sexta-feira, celebrou uma ceia que contava, ao todo, com treze participantes.
A sexta-feira 13 também foi imortalizada pelo cinema norte-americano, produzindo uma série de filmes de terror, protagonizados por matadores que atacavam nessa mesma data.

Outro fato que concorre para a reafirmação de tal superstição, remonta ao período da Baixa Idade Média, quando o rei Felipe IV, num processo de consolidação de seu poder político, sentindo-se ameaçado pela Igreja da França, tenta se filiar à Ordem dos Cavaleiros Templários. Tendo sua solicitação recusada ordena a perseguição, tortura e prisão dos Templários, numa sexta-feira, 13 de outubro de 1307.
Reforçando essa mesma crendice, uma antiga lenda escandinava reforça a história de maldição. Ao se converterem ao cristianismo e se tornarem monoteístas, os escandinavos deixaram de adorar Friga, a deusa do amor e da beleza, e passaram a amaldiçoá-la como uma bruxa, que se reunia toda sexta-feira, com onze feiticeiras e o demônio para rogar pragas contra a humanidade.
O fato é que tal crença rompeu os séculos, e chegou até os nossos dias! Ainda hoje existem pessoas supersticiosas que creem que o simples fato do dia 13 cair numa sexta-feira é motivo de medo e sinônimo de mau agouro.
Muito se fala sobre os efeitos maléficos e por vezes até mesmo trágicos da sexta-feira 13. Contudo, outros a interpretam com um significado completamente oposto. Na numerologia, o número 13 é usado no sentido de transformação, de mudar aquilo que está estagnado, que precisa de uma solução proveitosa, reciclando as energias paradas há tempos.
Atualmente, em países que possuem culturas diferentes, o número 13, ao contrário do que muitos acreditam, está associado à felicidade e futuro próspero.