quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Exposição em São Paulo homenageia Cazuza



As letras e as músicas do poeta Cazuza, são destaques no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, desde o dia 22 de outubro. A primeira mostra no espaço, em homenagem a um músico, a um “poeta da música”, é dedicada ao grande cantor brasileiro, que nasceu Agenor de Miranda Araújo Neto, e ficou mais conhecido como Cazuza.
A tônica da exposição “Cazuza mostra sua cara”, destaca mais do que a biografia do cantor. Um pouco da intimidade, uma maneira nova de olhar as canções do ídolo da geração anos 1980, a poesia, o que o cantor pensava e escrevia, assim como sua consciência crítica sobre o país, são os destaques da mostra, que passa por todas as fases da vida do cantor, até sua morte.
Alguns objetos pessoais usados pelo cantor em seus shows, também estão expostos, como a calça de couro vermelho, que pegou da mãe, a bandana, a camisa amarela com estampas do mapa do Brasil, além de um par de tênis surrado, os óculos escuros e fotos raras que eternizaram momentos do cantor.
Uma exposição interativa, objetivando desconstruir e explicar didaticamente, as letras das canções do poeta. Entre as várias salas expostas à visitação, o visitante pode interagir em telas sensíveis ao toque sobre a estrutura poética de 10 músicas do artista. Na sala “Mostra Sua Cara”, rostos anônimos colados na parede, sobrepostos por frases de Cazuza, estão expostos, e os visitantes, podem complementar a galeria, com fotos suas, também cobertas por frases do poeta. Além de espaços sensoriais, com animações e vídeos, contendo trilha sonora do cantor e depoimentos de amigos de Cazuza e da mãe, Lucinha Araújo.
Até os banheiros do Museu foram transformados e entraram no clima da mostra. Contendo luzes coloridas, e projeções de shows de Cazuza, o local assume um clima de boate. Um local que não poderia ficar esquecido, porque como o próprio cantor dizia, o banheiro era o “altar de todos os bêbados”, era seu templo, seu local de inspiração.
Cazuza, cantor, compositor, poeta e escritor brasileiro, morto em 1990, aos 32 anos de idade, ganhou fama como vocalista e principal letrista da banda Barão vermelho. Rebelde, contestador, queria mudar o mundo, encarnou a figura do jovem de sua época, e viveu de forma tão intensa, que cedo nos deixou!  Assim como se definia, detestava que o chamassem de poeta, era cantor e pronto!
O evento apresenta Cazuza como um dos ícones da música popular. Um artista que soube unir com maestria a tradição escrita à oral, a poesia à canção, transformando sentimentos e paixões em poesia pura! A homenagem ao poeta e compositor Agenor de Miranda Araújo Neto, o Cazuza, vai até o dia 23 de fevereiro de 2014.